CCA-HELIOPOLIS
Público – Adolescentes (2 turmas)
Grupo: Daniela, George, Vini, Ana Reis, Marcos (Batata)
Educadora – Solange, Natália e Tatiane
1. PERCEPÇÃO DA PAISAGEM

O trabalho com os adolescentes se deu inicialmente com a apresentação da proposta aos
educadores envolvidos e aos próprios jovens. Nesta apresentação discutimos os
objetivos da atividade e agendamos na seqüência as datas e horários das ações. Este
reunião aconteceu no dia 04 de Novembro, ficando marcado para todas as quartas as
demais atividades até seu fechamento.
Ao caminhar pelo bairro de Heliópolis podemos observar uma riqueza imensurável
presentes nas paisagens construídas e humanas. São comerciantes informais nas ruas,
meninas debruçadas nas janelas, senhoras a conversar no meio metro de calçada
disputando espaço com os carros. Mesmo assim, um espaço praticado, vivido
centímetro a centímetro, observa-se a colaboração dos vizinhos ao ajudarem
mutuamente, as crianças andando de bicicleta ou jogando futebol nas ruas asfaltadas, as
casas simples de vermelho-cerâmico e aparente onde a trepadeira roça e encontra alento,
e de pouco em pouco esverdeia a pequena casa presenteando seus habitantes com o
perfume exalado e com a cor de sua flor alamanda-amarela.
No dia 11 de Novembro fomos com aqueles jovens a executar as trilhas por eles
elegidos na semana anterior. Preparamos os equipamentos de captura e dispomos em
seus corpos. O primeiro trajeto de descrição da paisagem fora feito em direção a
lavanderia e o segundo ao campo de futebol. Estas capturas das paisagens sonoras e
suas ‘pistas’ serviriam aos demais do grupo para que os mesmos o fizessem com os
olhos vendados e acompanhados de guias a segurar suas mãos, enquanto isso os demais
do grupo de adolescentes tratariam de registrar por meio de fotografia e vídeo o
processo do trabalho e a paisagem visual capturando momentos e situações do
cotidiano.
No dia 18 de Novembro, fomos ao Heliópolis com a intenção de executar a ação de
percepção da paisagem, no entanto, um problema de força maior impediu que nosso
equipamento funcionasse com êxito. Assim, aproveitamos o dia para refazermos uma
das trilhas por ter ficado comprometido e inaudível a descrição da paisagem feita por
um dos adolescentes na semana seguinte. Explicamos a situação e nos comprometemos
a executarmos a ação na semana seguinte.

No dia 25 de Novembro, levamos o material que precisávamos para sair com os
adolescentes pelo bairro, o som fora repassado com sucesso. Saímos do CCA com os
adolescentes e a educadora Natália. O grupo se dividiu entre os que estavam a praticar a
ação de percepção e os que estavam a registrar a ação e ainda assim a perceber de outra
forma, pelo olhar.
No caminho alguns estranhamentos por parte do publico, o que já esperávamos que
assim fosse. Dois ficaram a escutar as descrições do caminho a ser seguido, um deles
era parte do grupo de adolescente e a outro do grupo da FAU, pensamos em imergir na
ação de forma uníssona para aproximarmos linguagens e sensações e nos colocarmos de
forma horizontal com o grupo de adolescentes. Enquanto isso os demais estavam a
registrar as ações, colaborar no processo de entendimento e direcionamento a ser
tomado e na condição de guia daqueles que estavam de olhos vendados.
Imaginamos com essa “brincadeira” contribuímos para que eles venham a se perceber
no lugar e a perceber os valores presentes nas construções sociais e nas riquezas
culturais da família Heliópolis.
2. DESCRIÇÃO DOS TRABALHOS E ENCONTROS
• Contato com os adolescentes e educadores – apresentação e discussão da proposta do
GRUPO FAU ao CCA HELIOPOLIS – 04/Nov ok!
• Captura da paisagem sonora de Heliópolis com 2 adoslecentes 11/Nov ok!
• Cancelamento da ação e refazendo a paisagem sonora ; 18/Nov ok!
• Execução da ação com os adolescentes 25/Nov – ok!
• Apresentação de vídeo na UNAS com o trabalho dos adolescentes em vídeo e fotos –
dia 04/Dez.

3. REGISTROS

Anúncios