1º Dia:
– Primeiro contato com as unidades.
– Grupo não estava completo
– Takeo: Único a visitar a unidade Mina
Juliana: Visitou o CCCA Imperador
Melissa e Joana se juntaram ao grupo na semana seguinte.

2º Dia:
– 1º dia do grupo completo na unidade
– Conversa com educadora e crianças, entender o funcionamento da unidade
– As crianças estavam desenvolvendo um trabalho sobre Aleijadinho.
– Passeio pela Heliópolis, guiado pelas crianças (Euler, Weuler, Jonas e Raísa), acompanhado pela educadora Ana. Fizemos o percurso que as crianças normalmente fazem para a casa delas, passamos pelo rio, que está sendo canalizado e visitamos o espaço que integra a escolinha com a unidade da ETEC Heliópolis.
Deste passeio notamos:
– A maioria das crianças mora perto da unidade da Mina.
– Durante o passeio, percorremos a única rua arborizada que vimos até agora em Heliópolis, onde foram plantadas árvores pelos próprios moradores, segundo informação das crianças.

3º Dia:
– Aplicação de Atividade
– Houve um atraso na chegada da maior parte do grupo, por este motivo a atividade começou sem a presença do grupo completo. Foi proposto que as crianças fizessem um desenho do local em que moravam. A intenção era observarmos o local de moradia das criança através de suas visões.
– Pudemos notar representações de caráter diferentes:
– Desenhos de fantasia:
Modelo de desenho de criança (casa com telhado de duas águas, com nuvens, gaivotas e a família
– Desenho bastante fantasioso:
Uma criança (chamada Pablo) fez um desenho da casa bem pequena num canto da folha e o resto do campo foi preenchido com caminhôes e outros elementos que contavam uma história, que foi explicada pelo próprio autor do desenho, em exposição após a atividade. Foi um desenho bastante narrativo.
– Desenhos mais realistas:
A maior parte dos desenhos. Casas com lajes planas, escadas que dão acesso à laje. Representação das casas visinhas, de serviços visinhos (Lan House) e ruas.
Em muitos desenhos estava presente representações de fogo – incendio ocorrido recentemente em casa próximas ao rio.

4º Dia:
– Elaboração da proposta:
– Participantes: Mércia, Leiliane, Raísa, Euler, Weuler, Melissa, Joana, Takeo e Juliana.
– Crianças manifestaram um sonho de ter um espaço de exposição próprio para expôr seus trabalhos, em que eles fossem reconhecidos como obras de arte, como num museu. Este desejo da crianças será aplicado na exposição final:
Será feito um varal, no qual estarão pendurados os trabalhos realizados nas nossa atividades, que sairá da unidade do CCCA Mina e entrará na quadra onde formaria uma espiralconvergendo para o centro. O varal mostraria o percurso do trabalho desenvolvido com as crianças.

– Pontos a serem abordados nas atividades: tridimensionalidade, utilização de materiais reciclados, reflexão sobre espaço público (praça, parque)
A proposta:

Fazer uma transição progressiva da representação bidimensional (desenho) à tridimensional (modelo).
– 1º Momento: (desenvolvido no 3º dia)
Desenho do local em que residem
– 2º Momento:(Realizado hoje, 5º dia)
Iniciar uma reflexão sobre a praça
O que gostariam que existisse numa praça ou parque
Trabalho desenvolvido com desenho e colagem de materiais reciclados em base de papel craft (transição do bidimensional para o tridimensional).
Ao final, elaboramos uma lista, com idéias deles, de elementos que poderiam estar presentes num parque em Heliópolis.
Avaliação da atividade: Deixamos as crianças livres para colocarem no papel o gostariam que houvesse num parque. Notamos ao final que elas ainda não tem muito bem formado os elementos que constituem uma praça, aparecendo idéias como praia.
Com base nisso, fizemos algumas adaptações na atividade nas próximas semanas.
– 3º Momento:
Exposição de exemplos (através de imagens) de espaços públicos num aspecto geral e, posteriormente, exemplos de espaços públicos aplicáveis à realidade de Heliópolis (ruas, parques lineares, pequenas praças). Conversa sobre a exposição com as crianças.
Iniciar a produção de elementos tridimensionais que irão compor uma maquete do parque.
– 4º Momento:
Continuação da produção dos elementos para a maquete
-5º Momento:
Elaboração da maquete final que será apresentada no centro da espiral que estará na exposição, como produto final do nosso processo de trabalho.

Anúncios

A experiencia de hoje foi bem enriquecedora e acabou contribuindo para pensarmos quais as nossas ações para os próximos encontros. O inicio do projeto foi bem legal com a criançada, super ativa carinhosa, conquistando nossos corações.

No início a gente feiz uma rodada onde as crianças escreveram uma lista dos lugares de heliópolis que elas mais gostan (quase todos lugares onde elas brincan); deu para montar o mapa no papel kraft e colar nele os desenhos que crianças é adolescentes fizeram das casas e do entorno deles. Os desenhos colocaram-se acompanhados de linhas (cada criança numa cor), assim que eles ficaram ligados as ruas onde cada criança mora.

DSC04173

DSC04174

As crianças mesmas, com a ajuda da Rose (educadora no CCCA Imperador), tinham tiradas fotos das casas delas. Esas fotos vâo também fazer parte do trabalho que vai ser mostrado na exposiçâo, a gente precissa ainda pensar como…

DSC04184

DSC04185 DSC04198

De aí nessta 6f nâo vai ter atividade no CCCA-Imperador, e o cronograma (acordado entre a Rose, Cláudia, Batata, Augusto e José) ficaría assim para os próximos encontros:

6 outubro – nâo vai ter atividade no CCCA (só a reuniâo com o grupo géral)
13 outubro – as 13h a gente vai se encontrar no local da RUA COMANDANTE TAYLOR (a mudança do local do CCCA será feita na semana próxima) e vai fazer um percurso na rua com as crianças, passando nas ruas onde moram algumas delas, e chegando até campo de futbol, onde o grupo todo vai ficar brincando com elas.
20 outubro – feriado ….. por definir a qué dia adianta a atividade e o programa dela (em principio dia 18 ou 19).
27 outubro – atividade no CCCA (r.comandante taylor).  o grupo vai mostrar os vídeos das atividades para crianças e para a gente, e decidir juntos como fazer a montagem dos videos para a exposiçâo.

DSC04197

Grupo: Alba, Augusto, Carolina, Claudia, Elisa, José, Isabel, Marcos (Batata)

Presentes: Augusto, Carolina, Claudia, Elisa, José, Marcos (Batata)

Nessa 6ª feira, devido ao feriado e o fechamento dos CCCAs, nos encontramos no prédio da UNAS as 13:30h e iniciamos uma reunião para conversarmos os próximos passos que irão nortear a atividade em conjunto com as crianças e educadores. Como no CCCA Imperador semana passada não houve aula devido à falta de água, e assim as atividades ficaram atrasadas, optamos por dar continuidade a mesma que havíamos já instigado as crianças, dando uma maior elaborada na seqüência e forma que essa atividade iria tomar.

Primeiramente, tendo já plotado um mapa de Heliópolis com as ruas do CCCA e as que as crianças moram, pensamos em juntar com esse mapa um papel (craft) bem grande para que elas colem os desenhos que fizeram de suas casas (atividade também elaborada anteriormente). Essa etapa do projeto, só foi elaborada com uma parte da turma, que estava presente no dia, mas pensamos em englobar também a outra parte, composta por adolescentes, e por esse motivo fazer uma atividade um pouco mais livre do desenho da sua casa e entorno de onde mora, sendo possível que eles tanto desenhe, como façam colagens, grafites, poemas, tragam objetos etc. Devido à falta de tempo, essa primeira parte da atividade com os adolescentes não será feita conosco, e sim trazida de casa. A Educadora Rosi irá realizar essa parte com os adolescentes.

Assim, tendo material das duas turmas, iríamos colocar esses no mapa de Heliópolis, enquanto as crianças traçam seu caminho até o CCCA e nos contam um pouco sobre o que sentem o que gostam de fazer próxima a sua casa, o que notam no caminho, etc. Essa etapa seria elaborada em dois dias (6/10 e 13/10), para que haja um bom aproveitamento e entendimento por parte das crianças e adolescentes para execução da próxima etapa.

Nos dois próximos dias de nossas visitas (incertos ainda por causa do feriado), pensamos em sair a campo com as crianças, levarem elas da escala do mapa, da localização para a escala real. Essa etapa necessitará da ajuda da educadora para que instigue as crianças a prestarem atenção ao caminho que fazem aos locais que gostem de ir e como chegam até lá, entre outros fatores, para facilitar e nortear a nossa atividade em campo.Tendo nós alunos e coordenadores os lugares que as crianças marcaram no mapa, dependendo da quantidade iremos escolher os mais marcados em comum, nunca esquecendo de atender a todas as crianças, para fazer o caminho. O percurso será filmado, tanto as crianças, suas falas e ações, como propriamente o trajeto.

No final de todas essas atividades, teremos como produto final desenhos, um mapa com interferência das crianças e um vídeo. Pensamos em englobar tudo isso no vídeo, fazendo filmagens dos trabalhos executados e do processo, colocando possivelmente alguma música de fundo (a decidir ainda), e esse vídeo seria projetado na exposição do dia 4/12.

DSC08663 DSC08665DSC08672

Desenhos das crianças na primeira parte do processo foto: Cláudia Cruz Soares

Essas foram as decisões tomadas pelo grupo nessa reunião de 30/10, o que não impede futuras mudanças no processo quando se sentir necessário e dependendo das respostas das crianças.

Ao final dessa reunião, ocorreu uma reunião em conjunto da disciplina com os alunos da FAU que estavam presentes e demais participantes, e foram expostos para o grupo as atividades que seriam executadas em cada CCCA. Os projetos foram ouvidos e aprovados por todos, surgindo algumas dúvidas em relação a certas atividades e formas de execução.

DSC08717

DSC08716

Encontro pós oficinas nos CCCA. Local sede da UNAS. Foto Cláudia Cruz Soares

Conforme foi combinado na semana anterior, foi desenvolvida uma atividade lúdica com o propósito de criar um objeto a partir de uma massa de modelar feita de farinha de trigo.

Propusemos às crianças que como ainda não as conhecíamos bem, que elas fizessem um modelo que contasse um pouco mais sobre elas, seus gostos, sua casa, sua comunidade ou até mesmo algo que revelasse seu humor naquele dia.

No CCCA 120 a média da idade das crianças é de 7 anos, e justamente por isso, elas acabaram por perder o foco inicial da proposta e fazer modelos de acordo com sua vontade. O resultado final foram pequenos animais, itens de alimentação como pizza e sanduiche, bolas, corações, carrinhos, bonecos de neve, etc.

No CCCA existem duas turmas que revezam entre recreação e a atividade de reforço do SESI. Por isso, fizemos a massa e os modelos com a primeira turma das 13:00 às 14:30 e com a segunda turma das 14:30 às 15:00. Apesar da complexidade da atividade e do pouco tempo disponível, conseguimos fixar a atenção das crianças, realizar a atividade completa e nos 10 minutos que sobraram para cada turma, pedimos que eles desenhassem as fachadas de suas casas. Nesta etapa a maioria realmente fez o que foi proposto e o resultado foi bem interessante.

Como a massa de modelar de farinha de trigo requer um tempo para endurecer, ficou combinado que na próxima sexta-feira as crianças irão pintar seus objetos.

O balanço geral da atividade foi muito bom, apesar de ser uma turma de crianças bastante inquietas, todas se entreteram muito com o que propusemos. O grande desafio será pensar na continuidade do processo, justamente porque as crianças ainda são muito novas para realizar alguma tarefa com um objetivo definido, acabando na maioria das vezes por fazer as coisas conforme seu desejo, como aconteceu com a massa de modelar.

As fotos serão enviadas para postar na semana que vem, pois a máquina está com um integrante do grupo que viajou hoje para o Rio de Janeiro.

Aline Carvalho Magalhães

CCCA Imperador relat 01_Página_1

CCCA Imperador relat 01_Página_2

Oi gente!

depois um tempo da visita no Heliópolis, eu gostaría de sublinhar o que achei mais interessante de o que a gente viu e visitou ali… além do ambiente agradável nas ruas do bairro, que fez-me pensar ao bairro onde eu morei de criança, com todo o pessoal conheciendo-se e relacionando-se na rua..

Eu fiquei sobre todo impressionado do funcionamento dos centros da UNAS que, se entendi bien, trabalha com um total aproximado de 4000 crianças e adolescentes, formando os mesmos centros uma espécie de rede com uma forte ligação entre elis (escola de design que fornece os modelos para oficina de costura, a oficina para as lojas, etc…).

Mas a ligação que eu achei mais legal, e que não tinha visto antes em outro lugar, é o fato de que o pessoal encarregado da gestão dissas atividades e gente que previamente recebeu uma formação e educação nos propios centros. Além de ser uma garantia para o bom funcionamento do sistema (já que o pessoal responsável conhece-o em profundidade) esse funcionamento espiral (o pessoal que cresceu fica ao redor do mais novo) é uma grande diferença e vantagem em relação a outros bairros ou cidades.

Em Madrid eu tinha trabalhado com o pessoal duma asociação do bairro com pretenções similares (http://tobogandeluz.net/), mas com uma participação enormemente inferior… e nunca vi um sistema com um potencial tão grande, pensando no número de jovems que participam e mesmo que ainda poderíam participar. Digo isso tendo morado já em espanha, frança e alemanha.

Então, sendo consciente dos enormes problemas própios dum bairro como Heliópolis, eu acho que é também necessário assinalar as virtudes deli. E saber que as diferenças com outras cidades ou barrios (mesmo em/com São Paulo) significam as veces vantagems que a gente pode sem duvida aproveitar.

So isso.. mais uma vez obrigado ao pessoal de Heliópolis por como todos trataram-nos o dia da visita. e sento os erros de ortografía!! espero que de para entender alguma coisa haha!

abraços, josé.

Este blog integra o projeto Paisagens Vivenciadas, do Grupo de Pesquisa Paisagem, Cultura e Sociedade da FAUUSP, em parceria com a UNAS do Heliópolis. Fundamenta-se na proposição da Espiral da Sensibilidade e do Conhecimento, idealizada em 2003 (http://www.espiral.org.br). Todo o trabalho é concebido de forma colaborativa e espera-se que o blog favoreça uma construção pública dessa experiência, que se quer fundada em princípios éticos, solidários, autogestionados, emancipadores, priorizando o desenvolvimento da sensibilidade artística, do conhecimento, da transformação coletiva da paisagem em que vivemos e promovendo uma cultura de paz.

Euler

alunos do Centro para Criança e Centro para Adolescentes mantido pelos moradores do Heliópolis
alunos do Centro para Criança e Centro para Adolescentes mantido pelos moradores do Heliópolis

PROJETO ARTE NO HELIÓPOLIS

Este blog integra o NÚCLEO DE ESTUDOS DA PAISAGEM DO LABCIDADE da FAUUSP, em parceria com a UNAS do Heliópolis. Fundamenta-se na proposição da Espiral da Sensibilidade e do Conhecimento (http://espiral.org.br). Todo o trabalho é concebido de forma colaborativa e espera-se que o blog favoreça uma construção pública dessa experiência, que se quer fundada em princípios éticos, solidários, autogestionados, emancipadores, priorizando o desenvolvimento da sensibilidade artística, do conhecimento, do compromisso com a transformação da paisagem em que vivemos e promovendo uma cultura de paz.

RSS paisagens vivenciadas e aprendizagem em processos colaborativos

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 2 outros seguidores

visitantes

  • 9.963 hits
Anúncios